domingo, 16 de novembro de 2008

Da felicidade...








Ultimamente tenho pensado muito nesta palavra.

A palavra é linda, gosto de a escrever, começa por F, uma letra forte, gosto de a sentir.
Não tenho entrado em grandes divagações, se sou ou não feliz, mas sim quando sou feliz. Penso que ninguém é sempre feliz, temos é mais ou menos momentos de felicidade.
Eu tenho muitos momentos de felicidade, não tenho tudo aquilo que dá felicidade à maioria das pessoas, mas ...

RAIOS!!!! Eu sou mesmo feliz.

Não preciso de muito para o ser, basta duas coisas, simples e imprescindíveis: amar e ser amada.

Esse amor não precisa de ser entre um homem e uma mulher, é amar os filhos, a família, os amigos e sentir-se amada por eles. Mas se a tudo isto juntarmos alguém que é parte de nós, que está presente a cada minuto, que nos faz estremecer sempre que nos olha nos olhos, então essa felicidade é indizível.

Por isso vou continuar a ser feliz, mesmo sem o carro novo, a quinta no Douro e o motorista indiano de 35 anos...
é que a felicidade não é a estação de chegada, mas sim uma forma de viajar.

1 comentário:

Elsa Pinto disse...

"Todos os dias devíamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas."
(Goethe)

Não são apenas palavras sensatas, mas acima de tudo sentidas...
Agora percebo porque gosta tanto de viajar!