quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Do conhecimento


Conhecimento, auto-conhecimento são palavras que tento descobrir. Não vou entrar pela via epistemologica, porque, para além de ter poucos conhecimentos, também porque não é disso que se trata.

Trata-se de uma questão simples, será que alguém nos conhece? Será que nós nos conhecemos?

Costumo comparar o ser humano aos contadores, aqueles armarinhos cheios de gavetas com uma simetria perfeita. Cada gaveta é uma parte de nós. Uma parte que queremos dar a conhecer, uma parte que alguém insiste em conhecer ou simplesmente deixamos escapar.

Existirá alguém que tenha acesso a todas essas gavetas em simultâneo? Teremos nós mesmos essa chave? Não acredito, nem quero.


Acredito que alguns abriram mais ou menos gavetas. Acredito que muito poucos tem acesso a muitas gavetas. E acredito também, que da mesma forma que há gavetas que nunca se abrirão, também as há com fundo falso, a gaveta dentro da gaveta...


Por isso, eu me confesso.

Eu não me conheço.

Mas tem sido um prazer descobrir gavetas que nem existiam.



3 comentários:

Alf disse...

Eu tenho medo do que possa estar lá dentro...

Elsa Pinto disse...

Não sei se já abri muitas ou poucas gavetas, também não faço a miníma questão de saber, apenas sei que as que abri gostei!

JS disse...

Medricas!!!