sexta-feira, 24 de abril de 2009

SEISCENTOS E SESSENTA E SEIS

A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são 6 horas: há tempo...
Quando se vê, já é 6ªfeira...
Quando se vê, passaram 60 anos...
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
E se me dessem - um dia - uma outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio.
Seguia sempre, sempre em frente ...
E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas.

Mario Quintana ( In: Esconderijo do tempo)

5 comentários:

maria teresa disse...

Não conhecia e gostei!!!

Izzie disse...

está mesmo bonito JS.
E vem no seguimento do que escrevi. Amanha já passou tudo. Nunca me esqueço de uma coisa que a minha tia do coração (que eu amo com todo o meu ser) me disse: "quando dei por mim foi como fechar e abrir os olhos. quando abri já tinha trinta anos, estava casada e com filhos. por isso aproveita bem cada dia da tua vida porque eles passam muito depressa"

Um beijo

Tio do Algarve disse...

Muito bonito, por fora e por dentro da "casca dourada" das palavras...

Rainha Mãe disse...

Mário Quintana - lindo!
E na ansia de viver, vivemos sem darmos conta...

Cor disse...

Um Sorriso aberto JS :)