sábado, 30 de janeiro de 2010

Eu acho que...


Todos nós temos um ex na nossa vida. Ex-amante, ex-amigo, ex-namorado, ex-marido, todos nós temos alguém que passou pela nossa vida. Passou, não ficou.

Deles fica uma imagem, uma recordação, uma música, fica sempre qualquer coisa. Às vezes guardamos mais do que o devido, outras nem sabemos o que guardamos. O certo é que passados anos os ex's adquirem um estatuto diferente. O lado menos bom ou até mau vai-se desvanecendo e ganham por vezes um colorido diferente. Se de uns dizemos valha-me-Deus-do que-eu-me-livrei, de outros gostaríamos imenso-de-saber-onde-nos-íamos-meter...

De qualquer das formas, ex´s são ex´s e nalgum momento foram únicos, presente e com um imenso futuro pela frente. Fizeram parte de nós, dos nossos dias, fizeram-nos rir e chorar, amar ou detestar. Fizeram-nos viver uma vida que não volta mais.

Acho que todas nós pensamos neles, muito ou pouco há sempre um momento em que nos lembramos.

Um dia numa viagem de comboio, perdi um livro. Estava precisamente a meio, acho até que era o ponto alto da história. Saí da carruagem e o livro ficou no banco. Até hoje nunca soube o fim daquela história. Acho que por isso nos lembramos deles....

5 comentários:

Ritinha disse...

gostei...

Ana C. disse...

E não é que tens toda a razão? Um livro por terminar pode ter o fim que nós quisermos e geralmente é sempre perfeito. Longe do desgaste do quotidiano todas as relações poderiam ter sido perfeitas ;)

Cat disse...

Pois é, a luz da distância temporal e/ou física tende a dourar as histórias mas histórias são isso mesmo, passado. Bem melhor é viver o presente e sonhar com o futuro.
beijinhos

Sónia disse...

Aquilo que ficou a meio, pode ter sempre o final mais desejado! Mas mesmo assim acho que a piada está em "viver o final", seja ele qual for. Bjs e bom fim-de-semana

Arisca disse...

Será que há histórias que ficam a meio? Telvez o "meio" seja mesmo o fim... Não apago os ex's da gaveta das memórias, mas nunca consegui reatar nenhuma relação.
Mea culpa

*beijinho