domingo, 7 de março de 2010



E assim sou, fútil e sensível, capaz de impulsos violentos e absorventes, maus e bons, nobres e vis, mas nunca de um sentimento que subsista, nunca de uma emoção que continue, e entre para a substância da alma. Tudo em mim é a tendência para ser a seguir outra coisa; uma impaciência da alma consigo mesma, como com uma criança inoportuna; um desassossego sempre crescente e sempre igual. Tudo me interessa e nada me prende.

Bernardo Soares
Livro do Desassossego

6 comentários:

momentos disse...

"Gosto de si simplesmente porque gosto!"... ASSIM!

Beijo e bfs

Hyndra disse...

Muito bonito.

maria teresa disse...

Uma das "almas" de Pessoa...
Abracinho

Cat disse...

Como eu o entendo...

Tio do Algarve disse...

Que saudades de ler Pessoa! Obrigado por nos trazer este pedachino, tão cheio de conteúdo!
Bjs

JS disse...

Acho que todos nós temos um bocadinho assim cá dentro..


Um abraço*