quinta-feira, 20 de maio de 2010

Que vida é esta...

Eu não sei que raio de vida é esta que tira a saúde a uma pessoa com pouco mais de 30 anos. Não sei que raio de vida é esta que lhe torna o corpo trémulo, que lhe tira a visão, que lhe entorpece os músculos e que o deita numa cama... Eu não sei que vida é esta que pode tornar de um dia para o outro uma mulher da minha idade a ficar viúva, que pode levar de um dia para o outro o filho dos braços de uma mãe.

E eu vejo tudo isto bem debaixo do meu nariz. E de cada vez que chega o INEM eu recolho-me na minha varanda e despeço-me de um amigo, mais uma vez...

Quando o ele se afasta eu só penso que não é assim que as coisas devem ser. Era suposto ele ter filhos, era suposto ele correr, dançar, trabalhar, amar a mulher e a sua mãe ensinar os seus filhos a ler. Era suposto ele ter a vida pela frente...

Eu eu que acredito em Deus, que acredito em milagres e que acho que temos sempre de ter esperança, fecho a porta da varanda e começo a achar que às vezes andamos cá sozinhos.

14 comentários:

Poetic GIRL disse...

É horrível é essa sensação que nos roubam o que temos de mais querido, e como é suposto continuarmos a viver? beijo grande

Ivania santos By DIAMOND disse...

Acho que andamos mesmo....

:(

Tio do Algarve disse...

Olá JS,
Infelizmente já passei por essa situação. Apetece gritar!
Um beijinho com toda a minha solidariedade.

almighty yellowphant disse...

Pois é, temos que estar preparados para as injustiças da vida. Eu tive um irmao que faleceu de leucemia com 5 anos, era uma criança ainda. Isto não pode ser justo... Mas temos que nos conformar e continuar a (sobre)viver...

Spixii disse...

A vida não é nada justa!
Força!
Beijo*

MARIINHA disse...

As doenças graves em pessoas jovens, custa muito a aceitar. Mas infelizmente é o que mais se ouve. E quando são crianças, então ainda é mais difícil de encarar. Deixa-nos revoltados.

Bjs

Disse disse...

Cara JS:

Que a vida não é justa, toda a gente sabe. Resta-nos, com a nossa justiça humana e quotidiana ter o discernimento de viver cada momento como se fosse o último. Não por puro hedonismo, mas por termos a cada minuto a possibilidade de respirar e viver aquilo que a vida nos dá. E isso é viver. E isso é gozar. E isso é aprender.

Daniel Monferrato disse...

Às vezes parece mesmo... Mas será que é mesmo assim?
Haverá algum propósito? Alguma vontade superior que nos ultrapassa? Ou será mero acaso?

Ana Miguel disse...

:(

Inact disse...

É triste e para conseguir viver nesta vida tão injusta e muitas vezes cruel temos de redescobrir em nós forças e motivações, temos que nos ir reinventando a cada dia... :(

Xica Xique disse...

Nem ouso falar em perdas ... caminho a tempos ( farao 8 anos ) com a saudade de um filho jovem e as suas palavras parecem sair de meus labios ... e juro , nao entendo e acho mesmo que nao eh pra entender !
Deus ?! Se continuamos, devemos a Ele !
Um beijo no coracao

JS disse...

Poetic, a vida às vezes é mesmo um assalto à mão armada..

Ivania, temos de acreditar que não...

Tio, um abraço cheio de saudades!

Almighty, não consigo imaginar a dor de perder um irmão (amo de paixão os meus)muito menos tão novinho...Um abraço grande.

Spixii, tem dias que não é mesmo. Um abraço

Mariinha, concordo plenamente... um abraço*

Disse, acho que é mesmo assim que tem de ser. O L. faleceu na sexta feira e o meu pensamento era este, viver cada dia como se fosse o último.Um abraço*

Daniel, são muitas perguntas...Um abraço e ainda bem que regressaste. :)

Ana Miguel, livra-te de ficares até constipada...

Inact,é isso mesmo..reinventando a cada dia..

Xica, não tenho palavras..só um abraço enorme***

disse...

É horrível essa sensação e, infelizmente, cada vez mais frequente :(

disse...

É horrível essa sensação e, infelizmente, cada vez mais frequente :(