domingo, 26 de setembro de 2010

Do comércio tradicional, da senhora do café lá de baixo e das coisas estranhas que me acontecem...

Eu nasci numa rua de comerciantes. Hoje podíamos dizer de comercio tradicional, mas na altura shoppings e grandes centros era para nós desconhecido. Sabíamos o nome dos clientes, onde trabalhavam, os hábitos e os gostos de cada um e para as crianças um ratinho de chocolate ou um punhado de catraios eram gestos de simpatia que naturalmente aprendemos. A minha mãe era uma mulher generosa e sabia o valor de um doce para uma criança.

Apesar de tudo, hoje em dia também encontramos alguns comerciantes assim. A senhora do café lá de baixo é assim. Há sempre chupas, brigadeiros ou rebuçados para das às minhas meninas. E se a Francisca a conquistou pelo sorriso, não há quem resista ao sotaque da minha Nôno...

Hoje após o café à Francisca deu duas chiclets, mas não havia os rebuçados da Nôno. Como eu lhe pedi para não dar chupas, ela deu-lhe umas sapatilhas. Da Geox pois claro. Eu ainda não percebi nada, mas na minha vida há muita coisa que não se explica...

13 comentários:

Manuela disse...

JS, do que tu falas é de qualidade de vida. Dar só por dar, só porque se faz alguém feliz, neste caso as tuas meninas :)

Tão bom!

Beijinhos.

JS disse...

Manuela, mas ao mesmo tempo é surreal nos dias de hoje...

Beijinhos*

Naná disse...

Espera: de rebuçados a sapatilhas da Geox vai uma tremenda distância!...
Por essas e por outras parecidas é que ainda acredito que ainda existe alguma réstia de generosidade desinteressada nas pessoas!

Pintas disse...

é por isso que acredito que ainda há boas pessoas :)
beijinhos

Poetic GIRL disse...

É o que se diz de dar por dar, porque tem um coração grande :) saudades de quando os comerciantes eram assim bem simpáticos e bem dispostos, agora é uma cambada de meninas com cara de frete! beijoca

maria teresa disse...

Isso é um dom que felizmente ainda há quem tenha...
Que bom que é conhecer casos como esse! Gostar de dar é mais gratificante do que receber.
Abracinho

Precis Almana disse...

Há pessoas generosas. E se as há e podem dar, dão, independentemente de serem rebuçados ou sapatilhas.

Hellag disse...

do bom não se fala, apenas do mau...o bom é silencioso, o mau berra...o bom marca dentro, o mau por fora!...magnifica a foto .)

Tio do Algarve disse...

Esses gestos são simpáticos...MAs não gosto de sentir falta de privacidade...

ANDARILHO disse...

Amanhã mesmo vou com os meus filhos para o comércio tradicional. :P

Lebasiana disse...

vá... diz-me lá qual é a loja, porque vou lá com o Pedro! o truque é dizer para não dar chupas, certo?! lol

beijos

xicaxique disse...

JS, nada de comentar suas deliciosas conversas hoje ...
Estou precisando de ajuda , se possivel for .
Estou indo a Lisboa no comeco de novembro e claro , ansiosa em conhecer um pouco de tudo .
Mas gostaria mesmo de saber se pode
me dizer qual é um bom lugar pra ficar em Lisboa , qual regiao ? Estamos pensando em alugar um apto .Sabe de algum ?
Obrigado desde ja

JS disse...

Bem apesar de toda a bondade do acto, fiquei muito sem jeito e volta e meia ainda penso nisso.Mas é óbvio que a partir de agora pode dar os chupas que entender que até tenho medo do que pode vir dali (no bom sentido, é claro)!

Xica-Xique eu moro no Norte e de Lisboa só conheço os locais turisticos... que pena mas não posso ajudar muito..

Beijinhos a todos