quarta-feira, 3 de agosto de 2011

As pessoas que eu mais admiro não são famosas, não escreveram um livro, não ganharam um Nobel, não são citadas, nem Googladas.

São pessoas como nós, que tem vizinhos, problemas, contas para pagar, trabalhos horríveis, dias insuportáveis, mas que ao fim ao cabo são extremamente reais. Sem máscaras, genuinamente comuns. São aquelas que dão a volta por cima, que sabem abrir uma porta com a mesma facilidade com que fecham outra. Tem coragem. A coragem de viver o dia à dia, mesmo que ele corra mais que nós.

3 comentários:

Naná disse...

E essas pessoas são tão mais bonitas, porque são plenas de tudo o que constitui a nossa realidade, não uma ficção!

Dina disse...

Assino por baixo!

JS disse...

Nana, são todas bonitas, mas estas mais próximas são uma inspiração...

Dina, bem vinda!