terça-feira, 30 de dezembro de 2008

A Vida é um Sonho um Pouco Menos Inconstante




"Se sonhássemos todas as noites a mesma coisa, ela afectar-nos-ia tanto como os objectos que vemos todos os dias. E, se um artista estivesse seguro de sonhar todas as noites, durante doze horas, que é um rei, creio que seria quase tão feliz como um rei que sonhasse todas as noites, durante doze horas, que era um artista.


Se sonhássemos todas as noites que somos perseguidos por inimigos, e agitados por esses fantasmas penosos, e se passássemos todos os dias em diversas ocupações, como quando se faz uma viagem, sofrer-se-ia quase tanto como se isso fosse verdadeiro, e apreender-se-ia o dormir como se apreende o despertar quando se teme entrar em semelhantes desgraças realmente. E, com efeito, isto faria pouco mais ou menos o mesmo mal que a realidade.


Mas, porque os sonhos são todos diferentes, e porque mesmo um se diversifica, o que se vê neles afecta bem menos que o que se vê acordado, por causa da continuidade, que não é contudo tão contínua e igual que não mude também, mas menos bruscamente, a não ser raramente, como quando se viaja; e então diz-se: «Parece-me que sonho»; pois a vida é um sonho um pouco menos inconstante. "



Blaise Pascal, in "Pensamentos"

3 comentários:

McSleepy disse...

É bonita esta visão onírica da vida. Na verdade a vida devia ser um sonho menos inconstante mas nós tendemos a vive-la (e acima de tudo a encara-la) como um pesadelo.
Complicamos e exageramos.
A vida é um sonho, mas temos de a sonhar...

XS disse...

Não posso deixar de dar razão ao senhor...

Nelson A. Soares disse...

Fascina-me não tanto o conteúdo mas a forma como é expresso e a iniciativa de ter sido expresso. Repentinamente, sinto-me a viajar na mente dos sábios e dou graças por me darem essa possibilidade. Não é giro? Pode parecer um pouco louco, mas é interessante para mim...


Stay Well