terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Do casamento - Parte III

Um dia acordamos e resolvemos casar. Ás vezes é assim, mas a maior parte das vezes não.
O casamento, juridicamente designado como uma instituição ou como um contrato, deveria ser, ou pelo menos pretende-se que seja o passo seguinte a um caminho construído durante o namoro.
-Já nos conhecemos bem, amo-te até ao infinito e não quero mais passar os meus dias sem ti.
Ou então:
- Andamos aqui a pagar casa e a dormir separados???
Seja qual for o motivo o mote, a alavanca, iniciam assim uma viagem que se pretende longa. Passado o alvoroço da festa e da lua de mel, começa a vida real....
E a vida real é terrível. Não conheço ninguém que com sinceridade me tivesse dito que o primeiro mês de casado foi fácil. Porque tirando a parte das jantaradas e das saídas dia sim dia sim, as coisas são efectivamente difíceis. Não é fácil a partilha, a cedência o respeito. Não é fácil ir para a cama à meia noite quando sempre nos deitamos às quatro da manha, não é fácil deixar de ler na cama porque a luz incomoda o outro.
É quase como quando compramos uns sapatos novos, são lindos e maravilhosos mas ainda não tem a nossa forma. E com o passar do tempo encontramos essa nossa forma. Ou não.
Existem muitas arestas a ser limadas, existem coisas maravilhosas que vamos aos poucos descobrindo. É um misto de coisas boas e outras menos boas, mas é assim que a vida é.
É por isso que nos devemos casar no auge da paixão, enquanto ainda sentimos as borboletas no estômago e estamos dispostas a mudar e a moldar parte daquilo que somos.
É preciso casar enquanto achamos o nosso amado lindo ao acordar.
Continua...

12 comentários:

Angelblue disse...

É amanhecer e voltar adormecer, aninhados um no outro, no bom e no mau. É olhar nos olhos um do outro mas principalmente olharmos juntos na mesma direcção.É dar e receber não em quantidade mas em qualidade para as borboletas continuarem a voar dentro de nós ;)

Beijo Grande

Ana C. disse...

Por isso é que fiz questão de viver com ele antes de casar, para a fase pós casamento ser menos traumática :)

Elsa Pinto disse...

Muito bem, que inspirada a minha amiga está hoje...
Eu continuo à espera do resto...

XS disse...

Adorei. E subscrevo inteiramente.
Continua depressa, por favor.

Ervi Mendel disse...

Com sinceridade: foi para lá de fácil :)

(isto no cenário hipotético de eu ser casado)

Izzie disse...

pois sei sim... que a felicidade acelera o tempo. Mas aí é que ele devia atrasar:)! mas é sempre tudo ao contrario!
Nada de lamúrias, porque é mesmo assim. Com entusiasmo e boa disposição a semana lá vai passando! e afinal, amanha já é quinta:)

Quanto ao texto, espero um dia poder opinar:). e ser feliz no comentário.

beijinho. volto a referir que dá gosto ler quem tão bem escreve.

Izzie disse...

pois sei sim... que a felicidade acelera o tempo. Mas aí é que ele devia atrasar:)! mas é sempre tudo ao contrario!
Nada de lamúrias, porque é mesmo assim. Com entusiasmo e boa disposição a semana lá vai passando! e afinal, amanha já é quinta:)

Quanto ao texto, espero um dia poder opinar:). e ser feliz no comentário.

beijinho. volto a referir que dá gosto ler quem tão bem escreve.

Izzie disse...

pois sei sim... que a felicidade acelera o tempo. Mas aí é que ele devia atrasar:)! mas é sempre tudo ao contrario!
Nada de lamúrias, porque é mesmo assim. Com entusiasmo e boa disposição a semana lá vai passando! e afinal, amanha já é quinta:)

Quanto ao texto, espero um dia poder opinar:). e ser feliz no comentário.

beijinho. volto a referir que dá gosto ler quem tão bem escreve.

Mad disse...

So true, so true :)

Pedro disse...

O problema é quando o auge esmorece depressa... e já estamos casados!

O seu tio do Algarve disse...

Hmmm...Acho que gostei mais da fase anterior ;)
E a questão as pastas de dentes, de um e do do outro? Definitivamente, fico na fase anterior! MAs aguardo a continuação...

kel disse...

Casar quando sentimos borboletas no estômago pode ser perigoso. Diz quem se dedica ao estudo dessas matérias que devemos "acalmar" as emoções antes de dar esse passo. É que a fase da paixão "assolapada" é efémera e isso pode fazer do casamento uma etapa demasiado curta.

O casamento é feito de cedências de parte a parte (não de nos moldarmos ao outro), de partilha, de amizade, de companheirismo, de amor, de compreensão... De tantas coisas que vão além da paixão.

O melhor remédio é viver junto antes de casar, sobretudo para quem estava habituada a viver sozinha. É difícil aprender a partilhar o espaço mas tudo na vida é feito de aprendizagens.

Eu gosto de estar casada e o primeiro mês foi fantástico, sinceramente falando :)

Bjos e boa escrita*