quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

A luz.



Quando falha a luz a minha vida pára.

Se estou a trabalhar é de doidos, não há computador e sem computador não faço quase nada.

Se estou em casa é o caos. O fogão é eléctrico, não há como fazer o jantar, aquecer leite, etc...os estores são eléctricos, fico sem aquecimento, sem computador, enfim a minha vida torna-se um verdadeiro inferno.

Se somarmos a tudo isto o facto de a Francisca entrar em pânico, porque acha que vamos ficar sem luz para sempre e que é o inicio de uma vida de pobreza extrema e irreparável, até ficar gelada de medo, temos as condições perfeitas para um começo de noite alucinante.

Para suavizar a situação eu conto histórias do"meu tempo".

No meu tempo quando falhava a luz era uma alegria, ficávamos todos à volta das velas a ouvir as histórias do meu avô. As histórias eram sempre as mesmas, mas ouvíamos sempre com imenso prazer. Era de tal modo envolvente e acolhedor aquele ambiente, que quando a luz regressava ficávamos tristes. Naquele tempo a vida não parava por falta de luz, pelo menos a minha vida.

Depois, quando vejo que a ansiedade continua jogo a minha cartada final.

Falo-lhe do Butão. E digo-lhe que naquele país existe uma povoação que prescindiu da electricidade, porque os postes de alta tensão afectariam a rota migratória de uns pássaros lindos que por lá passam todos os anos. E ela fica espantada por haver quem prefira ver pássaros uma vez por ano em vez do Zig Zag todos os dias...

Então, eu fico a pensar...o que me faria abdicar da electricidade. E as minhas mãos gelam.

5 comentários:

Sanxeri disse...

Eu tenho um medo incrivel do escuro, especialmente se estiver sozinha. Se falhasse a luz, quem parava era eu. :P

maria teresa disse...

Este testemunho denuncia-a como uma pessoa muito sensível, muito humana e dedicada.

JS disse...

Sanxeri, fizeste-me rir!

Maria Teresa, muito obrigada uma vez mais!

Ritinha disse...

LOL! Já estou a imaginar a Francisca em panico! LOL!!!!
Lembro-me que quando eu era adolescente e faltava a luz era uma catastrofe. É que maioria das vezes isso queria dizer que a campainha e o telefone também não funcionavam...
Eu nem consigo imaginar a vida sem telemóvel... Quanto mais sem luz. :)

Pedro Barata disse...

É o cabo dos trabalhos... sem dúvida!