terça-feira, 2 de junho de 2009

Há palavras...

Eu dou importância às palavras. Às que digo, às que ouço, às que escrevo e às que leio. Dou importância ao tom, ao enfase, ao olhar que as acompanha, às pausas entre elas.
Há palavras que nos enchem o peito, que nos fazem bem, outras há que nos corroem. Para essas últimas não tenho remédio. Não sei como retirá-las de dentro de mim. Não sei como deixar de as ouvir. E por mais que a seguir ouça só coisas boas, a má palavra é aquele que vai ficando, que vai moendo.
Isto não quer dizer que seja uma pessoa mesquinha ou um autêntico vidrinho. Eu desculpo tudo e todos, desde que compreenda as razões e os motivos. Mas uma palavra mal dita, eu não consigo esquecer.
Talvez por isso, por dar tanta importância às palavras, muitas vezes prefiro o silêncio.

22 comentários:

Tio do Algarve disse...

JS, deixou-me mesmo preocupadao...

Something I said?
Something I wrote?
Something I didn't Said?
something I didn't wrote?

Or let me know who is the guy/girl who did it. Justice will be made.

Please let me know, asap! Please...
Have a nice day!!!

JS disse...

Não se preocupe caro Primo!!!

São daquelas coisas que tem 7436 anos e de repente nos lembramos...

Coisas da sua prima que tão bem conhece...

Um abraço e obrigada pelo cavalheirismo!

Daniel Monferrato disse...

Há Palavras Que Nos Beijam

Mariza

Composição: Alexandre O'Neill & Mário Pacheco

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Tio do Algarve disse...

Uff! Minha cara Prima, obrigado pela sua resposta...
BJS

momentos disse...

A lagrimazita não ficou só no canto do olho, já rola pela cara abaixo!
É incrível, incrível mesmo...nem precisamos de nos ver, para você acertar em cheio no que vai cá dentro hoje...incrível mesmo não imagina o quanto...
Pelos vistos hoje somos cúmplices, pena é que a cumplicidade seja esta...

Não nos vemos desde ontem a meio da tarde, nem tão pouco falamos...um dia destes advinha-me o pensamento, não tenho palavras...

Fico pelo silêncio, mas "dou muita importância às palavras"...

Ju é única, única mesmo, as melhoras para si, um beijinho às míudas.

Ritinha disse...

Ola! Não te quero triste...
Beijoca!

Pedro Lopes disse...

e quantos silêncios não são mais duros que palavras

JS disse...

Daniel, eu adoro esse poema foi dasprimeiras coisas que postei neste blogue. Obrigada.

Momentos, agora sou eu que digo, diga quem foi que eu resolvo isso!!! As fileiras estão descontroladas?

Ritinha, naaaaa...estou nostálgica. Dentro de 5 minutos passa.

Pedro Lopes, agora fiquei sem palavras. Tomei consciência que os meus silêncios também podem magoar. Muito obrigada pelo comentário.

Mrs. Jones disse...

Há palavras que fazem bater mais depressa o coração

-todas as palavras- umas mais do que outras, qualquer mais do que todas.

Conforme os lugares e as posições das palavras.

Segundo o lado de onde se ouvem - do lado do Sol ou do lado onde não dá o Sol.



Almada Negreiros,
A Invenção do Dia Claro



beijo

Susy disse...

Já se dizia que a mais bela palavra é dita no silêncio de um olhar...! Por vzs é o que há de melhor! ;)

Tens um prémio para ti no meu blog! lé "selo"
beijo

Susy disse...

Já se dizia que a mais bela palavra é dita no silêncio de um olhar...! Por vzs é o que há de melhor! ;)

Tens um prémio para ti no meu blog! lé "selo"
beijo

Ana C. disse...

JS adorei as tuas palavras :)
O silêncio é de facto um bem precioso, tão precioso como as palavras.
Por isso é tão importante medir o que dizemos. Para não destronarmos o silêncio em vão.

JS disse...

Mrs Jones, que palavras...essas ficam no armario das coisas boas.

Um beijo


Suzi, ens toda a razão e obrigada pelo selo!

Ana C.podes crer...

S* disse...

No que toca a sentimentos, sou de poucas palavras. Prefiro que percebam o que sinto por gestos.

Saltos Altos Vermelhos disse...

subscrevo! ;)

João Pedro disse...

Concordo contigo JS. Chego a pensar que, em algumas situações, as palavras até atrapalham. No entanto, noutras valem tudo!

disse...

Eu adorei ler as tuas palavras no silêncio...:)

Anónimo disse...

O sentimento nasce nas palavras e vai morrendo no silencio ou falta delas...

Juntem sempre umas letrinhas.. boas ou más pouco importa, mas continuem a dizer umas palavras, porque as palavras têm explicação, já os silêncios talvez não..

Manias....

maria teresa disse...

O POETA, tinha esta opinião sobre as palavras ditas num contexto amoroso.

Álvaro de Campos
Todas as Cartas de Amor são Ridículas

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.
Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

**Palavras leva-as o vento, as acções são muito mais importantes

profpardal disse...

Tb sou um pouco assim. Perdoo tudo e todos, mas há certas coisas que simplesmente não consigo esquecer.

JS disse...

S*, eu até falo muito, mas dou muita importancia aos gestos.

Saltos, hoje lembrei-me de ti, tenho de te fazer uma pergunta!



João Pedro, para tudo há omomento certo.


Bê, obrigada, és uma querida.

Anónimo, acho que hoje com o seu e outros comentários, percebi que o nosso silencio pode magoar. Sabe é por esta partilha de saberes e sentimentos que eu adoro ter um blogue. Da minha rua posso ver outros mundos...

Maria Teresa, eu diria deliciosamente ridiculas...

Prof. Pardal, como diza minha melhor amiga: - Somos todos assim!

Mrs. Jones disse...

Espero que estejas melhor.
bj