segunda-feira, 9 de março de 2009

Avó.


De todas as mulheres que conheci, a que mais amei foi a minha avó.
Era uma mulher pequenina, que se tornava gigante só por querer. Tinha o cabelo cor de prata e usava sempre duas travessas em madrepérola. A sua presença era vital, era o cérebro e o coração da casa. Passava os dias a fazer crochet e a ensinar os meninos a ler, nesta mesma mesa onde agora lhe escrevo.
As sua roupas eram pretas de luto. Mas não era uma figura sombria, era uma luz de presença, daquelas que necessitamos de tempo para dormir sem ela. Eu precisei.
Era uma avó à antiga, sempre em casa, talvez nunca tenha ido mais longe que Fátima ou Vigo. Sempre a primeira a levantar-se e a última a sentar-se à mesa.
Hoje as avós são diferentes, como talvez um dia eu serei. As avós de hoje tem mais cor, conhecem o mundo para lá de Fátima e já não se lembram se sabem fazer crochet. As avós de hoje usam roupas que queriamos ter iguais e compram mais sapatos que nós. As avós de hoje são mais bonitas que as filhas.
Mas há uma coisa que se mantém, é no colo da avó que o nosso mundo inteiro cabe.
Para si Maria Teresa

16 comentários:

Artur disse...

Eu deste ontem que sou, como hei-de dizer, aquilo que são os pais das filhas que são mães. E ando a pensar se isto marca a altura de eu deixar de andar de skate...
Realmente o tempo muda. :-)

JS disse...

PARABÉNS ARTUR!!!! Espero que nunca deixes o skate, tenho a certeza que ele(a) vai adorar!

Pedro Viegas disse...

Olha JS... estás-te a tornar um caso muito sério de bem nos transmitir coisas tão belas...

Parabéns..

JP

Anónimo disse...

Concordo com o Pedro...é muito muito bonito ver como colocas em palavras o que te vai na alma...Aqui vão também os meus Parabens

maria teresa disse...

Gentil JS
Não sou muito de chorar, mas agora estou a fazê-lo!
O seu texto revela uma sensibilidade infinda, há muito que não lia um desnudar de alma tão bem descrito.
Em si revejo-me a pensar na minha avó, a senhora que mais marcou a minha vida, mais do que a minha mãe, essa amorosa mas mimada em demasia.
Fico pobre em palavras depois de um testemunho tão belo, tão sentido, tão real...
Obrigada por partilhar comigo (connosco) este seu sentir!

Beijo amigo

Izzie disse...

já é a segunda vez que abro a janela para comentar mas não há nada que consiga dizer e que valha a pena ser dito. Mas fica pelo menos o testemunho de que me deixas sem palavras. é delicioso o talento que tens para nos tocar na alma.

um beijo

P.s.: so hoje descobri o Natividade. estou curiosa

Marquês de Sade disse...

Avó é avó...
Mais palavras para quê?

Vekiki disse...

JS, vim aqui hoje pela primeira vez e dei de caras com esta homenagem às Avós. Fiquei cliente :) A minha Avó materna foi a pessoa mais importante da minha vida e é a pessoa com quem continuo a "falar" todos os dias, porque me faz falta falar a sério com ela.
Vou voltar ;)
Quanto à educação dos Filhos, não é "pêra doce"...eu tenho 4 (entre os 17 e os 7 anos), cada um diferente do outro. É uma Missão para toda a Vida, mesmo :)

Ana C. disse...

Tenho uma avó moderna, divorciada, que tem computador, vai de carro para todo o lado, manda SMS. Mas quando era mais nova sempre desejei no meu íntimo ter simplesmente uma avó assim, que permanecesse, que me soubesse contar histórias pela noite dentro, que me fizesse bonitas camisolas coloridas, que me cantasse músicas do seu tempo. Acho que a tua avó é uma matriarca digna das histórias da Isabel Allende ;)

Sanxeri disse...

A minha avó tambem foi (e é!) muito importante na minha vida. São sábias...

Sorte aquele que ainda tem uma avó, como eu. :)

Pedro Barata disse...

Muito bonito...
Beijinhos

MARIINHA disse...

JS, desculpa a invasão do teu canto, sou a Mariinha, virei amanhã espreitar com mais tempo, hoje não pode ser porque vou ler os dois capítulos da novela "O Silêncio do Amor". É só mesmo para te deixar um beijinho.

JS disse...

Pdro Viegas, és muito querido e exagerado!!!

Anónimo, muito obrigada e bem vindo.


Maria Teresa, eu não a quero a chorar!!! Sabe que eu a imagino parecida com a Meryl Streep, uma beleza enigmática e um sorriso encantador!!!Eu é que agradeço as suas palavras sempre tão carinhosas. Este post foi feito para si porque esse carinho me inspira. Um abraço.

Izzie, tu és uma doçura.

Marquês, concordo com o menino!

Vekiki, bem vinda! Quatro filhos?? Eu com duas ando sp doidinha...

Ana, fabuloso! Adorava conhecer a tua avó!!! Quanto às histórias da Allende, tens toda a razão...

Sanxeri, que sorte!!!

Pedro Barata,obrigada ;)

Mariinha, invade à vontade! Bem vinda!

carlostgc disse...

Vou reter esta frase:

"...era uma luz de presença, daquelas que necessitamos de tempo para dormir sem ela. Eu precisei."

... e acrescentar, eu ainda preciso...

Que bom que é ler estas coisas...

JS disse...

O Carlos anda muito ausente. Eu também quero ler mais coisas, sim???

me, myself and I disse...

lembro-me muiiiito bem da luuuuz da tua avó...sempre discreta mas presente..muito especial